sábado, setembro 18, 2010

Lê-se como necessário for


lentamente caminharem velhas pessoas de casal um vi Hoje
entender para novos muito olhos meus os ser pensei Eu
?rápidas muito estavam pernas minhas que será Ou
rápidos muito dias em lento caminhar a velhos de casal um Havia
...bonito tão ser parecia contrário ao mundo Seu
morte a anunciam que articulações de tropeços aos andassem que Ainda
calçada na los-ultrapassá em me-apressei, então Eu
compreenção jovem minha a para demais contrário ao Era
Ou será o meu mundo que anda na velocidade errada?

4 comentários:

Isabellita ;) disse...

Obs: esse comentário gerou o depoimento no orkut...

Gustavo = Criatividade

(; Se eu tiveeeeeer duas camisas, eu te empresto uma.

Anônimo disse...

Vc é responsável por criar a velocidade do mundo. Vc é responsável pelo seu sentido. Ambiguamente.

Vc é o exemplo mais concreto de prosa poética que já conheci, estando facilmente encaixado entre os grandes nomes da literatura. É engraçado dizer isso e soa até falso por se tratar de um jovenzinho de 17 anos morador da capital do menor estado de um país em desenvolvimento.

Mas que seja. A poesia mora em vc. Tão quanto morou em Clarice ou Drummond. A repercussão mundial destes foi apenas algo acrescentado à vida deles, não à poesia.

Portanto, vocês três se abraçam num mesmo patamar.

Sem dúvida.

Grande abraço!

Camila Perete disse...

Hipérbato: Inversão complexa dos termos da frase :D

Com certeza, devo concordar com Isabella:
Gustavo= Criatividade

:)

Elza disse...

velhice versus juventude? não! velhice e juventude. dança e caminhada, a foto me inspira vida ainda que "gauche"
parabéns pelas descobertas das imagens, das palavras, do afeto.
Elza