quarta-feira, outubro 20, 2010

DAS CULPAS - Escute o meu silêncio


Em um mundo em que a aurora marcha para a coletividade e que todos têm direito ao grito, tornou-se comum o ato de gritar. Apenas gritar. Seja pelo pisão no pé dentro do ônibus, pelo troco que foi dado errado, ou pela situação em que se encontra o país. E com esta tão popular forma de grito, popularizou-se também o ato de colocar a culpa – não importa em que.
Se o país entra em déficit a culpa é do presidente; se a saúde não funciona a culpa é do governador; se a rua não tem pavimento a culpa é do prefeito; e se a educação não presta a culpa é do governo inteiro.
Mas claro, também existem os culpados sem culpa: o atraso foi por causa do relógio ou do transporte, a nota baixa foi o computador ou a namorada, tropeçou? Foi o horóscopo.
E no meio dessas tantas culpas surge uma que muito me assusta e que ando ouvindo de uns tempos para cá: A culpa de tudo é da cultura. Como se o ser que fala fosse uma bactéria de Marte... Como se não fossemos nós os representantes da acusada, e que a torna viva todos os dias.
É preciso, antes de tudo, distinguir o que é cultura do que é falta de ética ou educação. É preciso olhar para dentro de si mesmo e pensar no coletivo formado por outros si mesmos.
Quando Sartre falou que o inferno são os outros, é bem verdade que queimou todo mundo e elevou-se aos céus divinos, nem que seja inconscientemente. E como nem eu, nem você nem ninguém somos Sartre, será que queremos realmente ser o inferno de nós mesmos?
Confesso que já nem sei mais o que é preciso!
“Desobvializar e estralar o dedo do pé”... Talvez!

4 comentários:

Anônimo disse...

Vejo que dissertação no vestibular não será obstáculo para você. Não mesmo.

Mas fico tentado a deixar meu recado oposto, como leitor seu assíduo que sou, de que sinto falta do seu ego fascinantemente conotativo que me tornou há muito tempo seu fanzaço de carteirinha.

Grande abraço, irmão!

=*

Camiila Perete disse...

"Desobvializar e estralar o dedo do pé"
Eu lembto dessa cronica, e tb lembro desse trecho :)

Elza disse...

Esse negócio de culpa é cousa séria!!! uma hora parece culpa para todo mundo, outra hora parece culpa para ninguém. Afinal, o que é a culpa? Um atributo do cristianismo? estou atrás mesmo é do responsável pelos buracos na rua, na saúde e na educação.. um cheiro

Elza disse...

"o inferno são os outros" Mas Sartre tb era um Outro para alguém, no mínimo para Beauvoir!!!
enquanto o inferno for o outro, vá lá!!! quero saber é o q se faz quando o inferno for o meu próprio EU??!!
Abraços e saudades imensas!!!
vamos fazer um luau com poesia?!!!