terça-feira, setembro 27, 2011

Conversa batida e de esperança na vida



   
   - Algumas pessoas gostam de correr riscos, outras preferem ficar no lado seguro. E o que é seguro senão tudo e o que é seguro senão nada?
   - Ê, rapaz! Deixa de história que o mundo é bonito, e não importa o lado! Quando se ama tudo no mundo, ama-se a si mesmo e a quem quer que seja com uma felicidade a mais. Não importa se faz chuva ou se faz sol, se é recíproco ou coisa de besta. Mas isso é conversa de botas batidas!
    E então aquele mesmo silêncio só silêncio de clichê batido ou de verdade preguiçosa. É que todos vivem e todos estamos vivos. A vida é, portanto, uma verdade batida, ou um clichê preguiçoso.

3 comentários:

Anônimo disse...

"Vaidade de vaidades, diz o pregador, vaidade de vaidades! Tudo é vaidade.
Que proveito tem o homem, de todo o seu trabalho, que faz debaixo do sol?
Uma geração vai, e outra geração vem; mas a terra para sempre permanece.
Nasce o sol, e o sol se põe, e apressa-se e volta ao seu lugar de onde nasceu.
O vento vai para o sul, e faz o seu giro para o norte; continuamente vai girando o vento, e volta fazendo os seus circuitos.
Todos os rios vão para o mar, e contudo o mar não se enche; ao lugar para onde os rios vão, para ali tornam eles a correr.
Todas as coisas são trabalhosas; o homem não o pode exprimir; os olhos não se fartam de ver, nem os ouvidos se enchem de ouvir.
O que foi, isso é o que há de ser; e o que se fez, isso se fará; de modo que nada há de novo debaixo do sol.
Há alguma coisa de que se possa dizer: Vê, isto é novo? Já foi nos séculos passados, que foram antes de nós."

(Eclesiastes 1:2-10)

Luciana Nascimento disse...

Puxa, como eu adoro seus textos. :) Esse texto reflete minha vida. Sou a pessoa do lado seguro. Não aprendi a viver mesmo estando viva.

Jenny Paulla disse...

" A vida é, portanto, uma verdade batida, ou um clichê preguiçoso." Gostei da prosa,rapaz! (: