quinta-feira, junho 26, 2008

Lembranças juninas


Se São João fosse vivo, ou ao menos tomasse a forma humana por um dia sequer, seria ele fumante. Meu Deus, quanta fumaça! O ar intragável sai das portas das casas inundando todo e qualquer mínimo cubículo que seja. E como se ja não bastasse, inventaram os fogos de artifício: igualmente mal cheirosos além de muito barulhentos.

Posso apostar que os espíritos guerrilheiros revivem seus tempos de glória - Para não dizer de espanto - com esses pedaços de barulho que entregam às crianças, por ironia, ou não, nunca irei saber, chamam-nas de bombas. Nada original: bombinhas de São João. Assim revivem (apartir daqui eu elimino esse verbo, viver ja não é o mais empregado), relembram os tempos de espanto. É até assombroso ver tanto sorriso com essas coisas, que com um elo invisível unem suas pólvoras àquelas que um dia destruiram as nações nada unidas.

Depois do assombro vem a tristeza: onde parou as cantigas? As bandeiras? A sanfona, insaciável? Quando diziam que a modernidade destroi as coisas nunca dei tanto valor...

2 comentários:

Anônimo disse...

Ficou bem mais ou menos. Talvez, se não fosse VOCÊ, mas outra pessoa q o tivesse escrito eu diria q estava bom, e tal. Mas eu conheço seu potencial, e sei q sua criatividade vai mto mais longe.

Abraço!

hc_garota_emo disse...

Amo São João!

E vai dizer que você não gostava de soltar as tais bombinhas???
Me lembro bem.




Amo.