segunda-feira, maio 09, 2011

A MORTE DA BEZERRA ME INTERESSA


Nos dias muito claros, de pensamentos e nuvens brancas, qualquer movimento de folhas verdes – ou secas, que sejam – me diz respeito. É quando um cochicho de olhos semiabertos é quase tão real quanto a Teoria da Relatividade... Embora ache que há uma conspiração em cada sussuro.

O que não tem importância é quase tão divertido quanto abrir a boca enquanto se toma um banho de chuva – mesmo que não se beba um só gole d´água. E a morte da bezerra é como a pedra no meio do caminho que foi um dia notada por alguém sem destino. Não a grande pedra. Não aquela pedra. É a pedra chutada, atirada contra o pássaro, esquecida.

A morte da bezerra é a morte para o óbvio.



Obviamente!


.

3 comentários:

Luciana disse...

Amei o texto. Abstraiu bastante. E achei complexo..
;)

Lucy in the Sky with Airplanes.

Jenny Paulla disse...

hhahahahahahhahahahhahahahahhahahahah
Existe sim conspiração em cada sussurro,em cada ação que tomamos.E nós sabemos a morte da bezerra é uma preocupação que a gnt finge não dar importância,mas que no fundo...talvez todos gostemos de óbvios ou de deixar subentendida a obviedade....

Obviamente!
ahuahuahuhauhahauhau
adorei!
e saudades de visitar aqui....eu sei que eu ando meio distante,mas as coisas vão voltar ao normal,ou não...hahahahhahahahahha

Anônimo disse...

Esse texto resume sua arte, ao meu ver. De uma forma bem simples, sutil. Mas é verdade.

Temos amor pela complexidade do simples, pelo esquecido.

abração