domingo, agosto 21, 2011

DAS COISAS


    
 
   Existem coisas que se explicam naturalmente; seus diversos significados de fato muito poéticos, encarregam-se de dispensar qualquer palavra. E há quem diga que são essas coisas de mil significados que falam mais que mil palavras juntas ou desconexas, artísticas ou não.
   
     Mas existem coisas que necessitam de entrelinhas claras. Para estas qualquer palavra é pouco, porque qualquer palavra fala delas um pouco. Estas não foram nem são entendidas - por quem lê, quem ignora e quem escreve.
     
      E caso me perguntassem o que é mais importante: os universos que escondem situações ou as situações que escondem universos, minha resposta seria ∞/2.

2 comentários:

Jenny Paulla disse...

e o infinito elevado a infinito?
essa imagem da porta parece um fractal:)
bela conclusão!

Anônimo disse...

Eis o poder da simplicidade.

Agora sim vi o Gustavo que costumo ver. Mostrando que poesia (que os leigos não confundam com poema) é muito mais que palavras difíceis largadas em hipérbatos esdrúxulos.

Aquele abraço.