quinta-feira, agosto 18, 2011

Então veja você mesmo


  A mesma faca que sangra é a que corta e divide o pão. Chora-se de emoção ou de dor, porém, veja: é a mesma lágrima! A ciência cura e mata de uma só vez, protegida por uma única face. Mas, olhe: entre isto e aquilo existem escolhas. E veja o mundo como está!
  Só então veja você mesmo. Decida-se, aventure-se em viver, existir e escolher. Corte sempre o pão, chore o quanto tiver de chorar e cure o que tiver que ser curado. Então olhe para você mais uma vez e estranhe-se.
  Viver é ser capaz de eclodir e implodir constantemente. Entre o inspirar e o expirar está qualquer coisa - e qualquer coisa é mesmo muito.
  Perceba: pão repartido já é pão multiplicado, qualquer lágrima é dádiva para qualquer coisa, e a cura para todos os males é respirar a garantia de que todos respirem. E garanta a pacificidade de um sorriso em qualquer boca.
  Então seja você mesmo.

3 comentários:

fashionismo disse...

Amei!
Preciso seguir esse texto na minha vida.
Curti de verdade. merece palmas.

Luciana Nascimento disse...

Acho que se a gente soubesse aceitar as coisas como elas são, nossas vidas seriam mais simples, não é mesmo?

Eu adorei esse texto. É o meu predileto.

Anônimo disse...

"e qualquer coisa é mesmo muito."

A chave da beleza da vida!

Muito bom! E andei percebendo que em suas minicrônicas vc tem sido mais explicativo.

Desejo de agradar ao público? kkkk

abraço