domingo, novembro 27, 2011

Querida, está tudo tão azul!


Imprevisibilidade, precipitação.
músculos, rígidos, doem.
De sono acordado estou eu.
Subo escadas, pulo cercas;
carneiros se perdem...

Imprevisibilidade, precipitação.
É tudo tão lindo:
É tranquila a incerteza;
e o depois que vem de ontem...
e o não sei dito em já sabia.

Eu vejo os meus erros.
Já conheço os meus passos.

;

4 comentários:

Carol Machado disse...

Adorei seu blog,
Seguinda da uma olhadinha
no meu http://taotao-distante.blogspot.com/. Se gostar
segue de volta.
bjs

Anônimo disse...

Belo e sutil, como tudo o que você faz! Notei um avanço em seus versos, uma vez que seu namoro com a prosa é sempre mais caloroso, se é que me entendes!

Avanço que digo, é de vc se sentir mais à vontade, mais ousado, talvez, não sei ao certo!

abração!

Anônimo disse...

O que me chama mais a atenção é a forma como você brinca com as palavras e gosto muito disso. Os seus textos não são necessariamente com um começo, um meio, um fim e com uma moral pronta. Eles são muito mais do que isso, eles nos fazem refletir bastante. Parabéns, você é muito talentoso.

Menina das meias disse...

esse tem cara de ser mais só seu mesmo, bem eu e eu mesmo
e termina de uma forma muito linda (dessa vez é espontaneo).
e tem o jogo de palavras perfeito "e o depois que vem de ontem...
e o não sei dito em já sabia"
que causa invejinha ^^